top of page

Projeto “Viva o Museu Popular” leva arte e educação patrimonial para ruas de Salvador

Grupo de Arte Popular A Pombagem apresenta o espetáculo “O Museu é a Rua” em monumentos públicos da cidade e promove rodas de conversa na Casa do Museu Popular da Bahia

O Grupo de Arte Popular A Pombagem (@apombagem) leva arte de rua para monumentos públicos e praças de Salvador, reunindo teatro, música, dança, fotografia e educação patrimonial. A iniciativa integra o projeto “Viva o Museu Popular” e acontece todas às quartas, de 17 de maio a 14 de junho. A programação inclui três apresentações do espetáculo “O Museu é a Rua” em diferentes monumentos da cidade e duas rodas de conversa temáticas que acontecem na Casa do Museu Popular da Bahia (Fazenda Grande do Retiro). Toda a programação é gratuita e aberta ao público.

O espetáculo será apresentado nos dias 17 de maio, no Cristo da Barra; 31 de maio no Monumento ao Dois de Julho (Campo Grande) e 14 de junho no Marco da Cidade (Porto da Barra). As rodas de conversa acontecem na Casa do Museu Popular da Bahia nos dias 24 de maio com a exibição do documentário “Olha o museu no meio da rua”; e 7 de junho com o tema “Teatro de Rua e Educação Patrimonial”, tendo como mote a recriação cênica da Festa do Lixo. Todas as atividades iniciam sempre às 14h.


A iniciativa nasce do Grupo de Arte Popular A Pombagem que atua há mais de 10 anos com educação patrimonial e teatro de rua. A proposta do projeto é entender e apresentar as ruas e praças como espaços museais, populares, acessíveis e repletos de patrimônio vivo. "O projeto mostra que o museu não é apenas um lugar físico, engessado, e pode ser uma experiência com um bem cultural de natureza material ou imaterial. Substituímos o edifício pelo território, o público pela comunidade, o estático pelo movimento e a coleção pelo patrimônio”, destaca Fabricio Brito, coordenador do projeto.

As apresentações que acontecem nos espaços públicos viram um museu a céu aberto, em que o monumento é a obra principal e o cenário é configurado para dar a ideia de uma exposição. As pessoas que passam pelo local são atraídas pela atmosfera artística e convidadas a interagir. “A gente dialoga com a cidade, não é um espetáculo fechado.


Vamos interagindo com os mais diversos elementos daquele espaço, especialmente com os monumentos, contando sua história, suas representações, as memórias que estão ali materializadas. Isso desperta a atenção do público, que muitas vezes não tem ideia do que aquele monumento representa”, ressalta Fabricio.


O grupo de arte-educadores patrimoniais também ressaltam o propósito em contribuir com uma educação mais inventiva, com foco na cidade e na cidadania. “Nosso desejo é fazer com que a escola, principalmente a pública, dialogue com outros espaços de aprendizagem e reconheça o potencial pedagógico do teatro de rua, dos coletivos culturais e das praças públicas”, conclui o coordenador do projeto.


O espetáculo também contará com a presença de artistas convidados. No dia 17 de maio, o projeto recebe o poeta Osmar Jr, também conhecido como Tolstoi, e o poeta João Vanderlei de Moraes. Também está confirmada em uma das apresentações a participação do Coco das Cunhã, um trio de mulheres brincantes da cultura popular. O Museu é a Rua tem texto e direção de Fabricio Brito; figurino de Bia Gigante; a Preparadora de Corpo é Leila Kissia; a Preparadora de Voz é Camila Ceuta e a Preparadora de Capoeira é Alana Alves.


O projeto “Viva o Museu Popular” foi contemplado pelo Prêmio Jaime Sodré de Patrimônio Cultural – Ano II, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador.


SERVIÇO

Projeto Viva o Museu Popular

Todas as quartas, de 17 de maio à 14 de junho, sempre às 14h

Apresentação do Espetáculo “O Museu é a Rua” e Rodas de Conversa.

GRATUITO e aberto ao público


PROGRAMAÇÃO


17 de maio | 14h – Apresentação do espetáculo O Museu é a Rua na Estátua de Jesus (Cristo da Barra);


24 de maio | 14h – Estreia do documentário Olha o museu no meio da rua e roda de conversa sobre o conteúdo exibido. Convidados: Rita Maia, Vagner Rocha, Janete Brito e Gean Almeida. Mediação: Fabricio Brito (Casa do Museu Popular da Bahia)


31 de maio| 14h – apresentação do espetáculo O Museu é a Rua no Monumento ao Dois de Julho (Campo Grande);


7 de junho | 14h – roda de conversa sobre Teatro de Rua e Educação Patrimonial tendo como mote a recriação cênica da Festa do Lixo. Convidados: Ana Paula Santos, Manuel Gonçalves, Eliene Benício e Manuela Ribeiro. Mediação: Fabricio Brito (Casa do Museu Popular da Bahia);


14 de junho | 14h – apresentação do espetáculo O Museu é a Rua no Marco da Cidade (Porto da Barra);


Informações à imprensa

Gisele Santana (71) 98872-5492


PARCEIROS DO JORNAL DO AXÉ

www.jornaldoaxe.com.br

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page