top of page
  • Foto do escritorjornaldoaxe

Associações e Federações que afirmam: "Ser a maior e melhor" podem estar fazendo propaganda enganosa


Primeiramente é importante esclarecer que as associações e federações tem o dever de ser transparentes e honestas sobre suas capacidades e realizações, a fim de evitar propaganda enganosa e deslealdade comercial com outras entidades.

No caso, existem algumas federações e associações de religiosos do axé, ou seja, umbanda, jurema e candomblé que estão se apresentando como as maiores e melhores do Brasil, sem apresentar nenhuma prova ou referência para justificar essa afirmação.


Antes de acreditar que nestas afirmações, você deve verificar se elas cumprem com as obrigações básicas, então vamos ver quais seriam elas. - As federações ou associações, prestam conta aos seu associado? - Fazem o registro em cartório da lista de associado? - Realizam assembleias ordinárias e extraordinárias? - Fazem as convocações de forma clara e pública? - Seus diretores têm vínculo comprovado para serem diretores? - Os diretores, estão no exercício de suas funções, com casa aberta? - As deliberações passam pelos conselhos? - Tem seus funcionários registrados na CLT? - Os bens imóveis e moveis, estão declarados e em uso exclusivo? - Tem lista de ativos registrado em cartório atualizada?

Sem cumprir com estas obrigações mínimas, levantas, criamos uma questão que colocam em dúvida a credibilidade dessas organizações e sua postura ética. Pois sem isto, é propaganda enganosa e uma deslealdade com as demais instituições coirmãs.

A propaganda enganosa é crime previsto no Código de Defesa do Consumidor, e consiste em fazer afirmações falsas ou enganosas visando atrair clientes. É importante lembrar que essa prática não se restringe a bens de consumo, mas também se aplica a serviços, como nas atividades desenvolvidas pelas federações e associações de religiosos do axé.

Nesse sentido, é necessário que estas federações e associações revejam suas posturas e passem a apresentar provas concretas que justifiquem suas afirmações. Isso não apenas contribuirá para a transparência dessas organizações, mas também para o fortalecimento e desenvolvimento da religiosidade afro-brasileira na totalidade.


PARA FINALIZAR - DESTACAMOS AINDA!

Os membros e praticantes dessas comunidades religiosas, tem o direito e o dever de questionar tais práticas desleais, solicitar as confirmações sobre a estrutura, obrigações fiscais e sobre a propaganda para não serem rotulada como parceiros de uma pratica enganosa.

O que se espera destas federações e associações é o mínimo de bom exemplo de relacionamento e convivência harmoniosa, aja vista, nenhuma tem estrutura que possa de fato se dizer defensora e representante do coletivo, quando no máximo representa seu grupo de associados.

É necessário e importante para todo religioso estar legalizado, ter sua credencial, fazer parte da solução, deve buscar, sim, estar agregado a uma instituição, mas que esta Associação ou Federação, tenha respeito, transparência e que desenvolva ações e trabalhe para seu coletivo e não em benefícios de alguns.



51 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page