top of page
  • Foto do escritorjornaldoaxe

Direitos Garantidos: Religiosos do Axé Têm Voz nos Presídios!

Uma Vitória para a Liberdade de Fé

Em um passo histórico para a liberdade religiosa no Brasil, o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP), vinculado ao Ministério da Justiça, aprovou uma resolução que garante os direitos de religiões minoritárias, como Umbanda, Candomblé e Jurema, nos presídios brasileiros.

umbanda, candomble, jurema

Acaba a Discriminação: Igualdade para Todos os Credos

Chega de invisibilidade! A nova resolução combate a discriminação religiosa que, por muito tempo, relegou religiões de matriz africana à margem dentro do sistema prisional. Agora, presos que professam Umbanda, Candomblé e Jurema terão acesso igualitário à assistência religiosa, com direito a:


  • Atendimento por um líder religioso de sua fé: A administração dos presídios deverá buscar representantes religiosos de acordo com a crença do preso, mesmo que a religião não tenha presença habitual na unidade prisional.

  • Acesso a materiais religiosos: Itens utilizados nos rituais, como ervas, incensos e objetos sagrados, poderão entrar nos presídios, desde que não representem risco à segurança.

  • Liberdade de crença sem privilégios: A assistência religiosa não poderá ser usada para oferecer vantagens ou benefícios aos presos, evitando qualquer tipo de coerção ou proselitismo.


Seu Direito à Fé, Protegido por Lei

A resolução do CNPCP garante que todos os presos, independentemente de sua religião, tenham acesso à assistência espiritual e possam exercer sua fé livremente. Essa conquista é fundamental para a reinserção social dos detentos, promovendo o respeito à diversidade religiosa e cultural e contribuindo para um ambiente prisional mais justo e humanizado.


Mas atenção: para ter acesso aos seus direitos, é fundamental que o líder religioso esteja devidamente credenciado por uma Associação Federativa de Classe. Essa credencial garante a legitimidade do religioso e a qualidade da assistência prestada.

Justiça e Igualdade: Uma Luta de Todos

A aprovação da resolução é um marco na luta pela igualdade de direitos para todas as religiões. É um passo importante para a construção de uma sociedade mais justa e tolerante, onde a diversidade seja respeitada e valorizada.

Junte-se à Luta!


A luta por liberdade religiosa e justiça social é de todos nós. Compartilhe essa notícia, converse com seus amigos e familiares sobre a importância da nova resolução e ajude a construir um Brasil mais plural e respeitoso da diversidade.


Lembre-se: você tem direito à sua fé! Exija seus direitos e lute por um futuro mais justo e igualitário para todos.

REDAÇÃO JORNAL DO AXÉ







15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page